A presença de Cafeína em águas superficiais brasileiras representa um risco ecológico?

Vinicius Roveri, Técia Regiane Bérgamo, Luciana Lopes Guimarães, Alberto Teodorico Correia

Abstract


Na última década, os estudos com o objetivo de detectar os produtos farmacêuticos e de higiene pessoal (PPCPs, do inglês, Pharmaceuticals and Personal Care Products), em águas superficiais e, também, de mensurar os seus potenciais riscos ecológicos têm aumentado em todo o mundo. Entretanto, no Brasil, estes estudos ainda estão em estágio embrionário. Diante do exposto, o objetivo deste estudo foi estimar o risco ecológico da Cafeína em águas superficiais brasileiras, utilizando como referência estudos que já detectaram este PPCP no país. A avaliação de risco ecológico para organismos aquáticos foi realizada através do cálculo do quociente de risco (QR), estimado pelo programa Ecological Structure Activity Relationships (ECOSAR) da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos. Dos 10 estudos encontrados no Brasil, 9 sugerem um potencial risco da Cafeína para algum nível trófico verificado (alga, invertebrado ou peixe), o que reforça a urgência da realização de novos estudos ecotoxicológicos (agudos e crônicos), de preferência com espécies nativas, para um aprofundamento sobre estes riscos.

Palavras Chave: Águas superficiais brasileiras; Poluentes emergentes; Cafeína; Riscos ecológicos.

 

Does the presence of Caffeine in Brazilian surface waters represent an ecological risk?

Abstract: Over the past decade, studies to detect Pharmaceuticals and Personal Care Products (PPCPs) in surface waters and also to measure their potential ecological risks have increased throughout the world. However, in Brazil, these studies are still in the embryonic stage. Given the above, the objective of this study was to estimate the ecological risk of caffeine in Brazilian surface waters, using as reference studies that have already detected this PPCP in the country. The ecological risk assessment for aquatic organisms was performed by calculating the risk quotient (RQ) estimated by the United States Environmental Protection Agency's Ecological Structure Activity Relationships (ECOSAR) program. Of the 10 studies found in Brazil, 9 suggest a potential caffeine risk for some trophic level (algae, invertebrates or fish), which reinforces the urgency of further studies. ecotoxicological (acute and chronic), preferably with native species, to further study these risks.

Keywords: Brazilian surface waters; Emerging pollutants; Caffeine; Ecological risks.

Full Text: PDF

Refbacks

  • There are currently no refbacks.